Novas Regras Aposentadoria INSS 2020: Reforma da Previdência

As novas regras aposentadoria INSS 2020 são pautas dos jornais, no mínimo, toda semana. Os canais de comunicação buscam trazer para a população quais serão as novas regras aposentadoria INSS 2020 e quando devem ser aprovadas. Uma parcela apoia as medidas do Governo, e outra não acredita ser a melhor proposta. Entenda mais a respeito das iniciativas.

Novas Regras Aposentadoria INSS 2020

Novas Regras Aposentadoria INSS 2020

Aposentadoria INSS 2020

Por enquanto, as novas regras aposentadoria INSS 2020 ainda não foram devidamente firmadas no país. E por isso, os contribuintes e trabalhadores ainda seguem as regras estipuladas anteriormente.

O INSS é o instituto responsável por gerenciar a previdência social dos cidadãos brasileiros. Fornecendo desde auxílios como saúde e maternidade, até a concessão da aposentadoria.

Novas Regras Aposentadoria INSS

Hoje, para ser um contribuinte é preciso pagar mensalmente uma parcela do salário bruto ao INSS, para em momentos de precisão usufruir dos benefícios. O pagamento é feito descontando da folha de pagamento ou em carnê para os autônomos.

✓ Veja as vantagens do portal Meu INSS 2020

Existem pelo menos 8 tipos de aposentadoria. Sendo as principais, quer dizer, alcançadas com mais frequência:

  • Por idade – urbana ou rural;
  • Por tempo de contribuição ao INSS;
  • Por invalidez;
  • Por deficiência.

Atuais regras aposentadoria INSS 2020

Uma das principais formas de se aposentar hoje é usando a categoria por tempo de contribuição. Até então, existem três atuais regras aposentadoria INSS 2020:

Regra 1: 86/96 progressiva:

  • Mulheres com pelo menos 30 anos de contribuição e homens com no mínimo 35 anos;
  • Soma-se o tempo de contribuição com a idade. Sendo que para as mulheres é necessário que o resultado seja de no mínimo 86 e para os homens no mínimo 96;
  • Exemplo: mulher com 56 anos + 30 anos de contribuição = 86. Logo, pode solicitar a aposentadoria.

Regra 2: 30/35 anos de contribuição:

  • 30 anos de contribuição mulheres e 35 anos homens;
  • Sem idade mínima;
  • Aplicação do fator previdenciário, isto é, cálculo feito pelo sistema da previdência considerando os meses de contribuição e os valores para definir a quantia que será recebida de aposentadoria.

Regra 3: aposentadoria proporcional:

  • Idade mínima de 48 anos mulher e 53 anos homem;
  • 25 anos de contribuição + tempo adicional mulher;
  • 30 anos de contribuição + tempo adicional homem;
  • Somente têm direito os segurados inscritos no INSS até 16 de dezembro de 1998.

Novas regras de aposentadoria INSS 2020

Com a proposta da Reforma da Previdência que deve ser aprovada ainda em 2019, passa a valer as novas regras de aposentadoria INSS 2020. O trabalhador também terá três opções de escolha. Sendo que os sistemas são pregressivos, ou seja, a cada ano devem aumentar os mínimos solicitados.

✓ Acompanhe as atualizações do salário mínimo 2020

Regra 1: idade mínima e tempo de contribuição:

  • Idade mínima progressiva de 62 anos para mulheres e 65 anos para homens;
  • Tempo mínimo de contribuição de 20 anos.

Regras Aposentadoria INSS 2020

Essa ordem é válida tanto para os trabalhadores da rede pública como privada. Segundo o modelo da previdência, chegando aos 20 anos de contribuição o contribuinte tem direito a 60% do valor da aposentadoria. A cada ano a mais trabalhado, aumenta-se 2%. O valor integral da aposentadoria é alcançado com 40 anos de contribuição.

✓ Veja também, as novidades do seguro desemprego 2020

A idade mínima também será alterada a cada ano. Sendo que em 1 ano aumenta-se 6 meses. Em 2020, o mínimo será de 60 anos e seis meses. E em 2027 será de 62 anos. Esse será o limite máximo para conseguir o benefício.

Regra 2: por tempo de contribuição:

  • Mantido o tempo de 30 anos para mulheres e 35 anos para homens;
  • A transição vai começar aos 56 anos para as mulheres e aos 61 para homens;
  • A cada ano serão aumentados 6 meses na idade mínima. Até que em 2027 chegue ao máximo de idade prevista.

Regra 3: por pontos:

  • A transição deve acontecer em 14 anos;
  • Até 100 pontos para mulheres e até 105 pontos para homens.

Nesse caso, em 2020 o mínimo para os homens vai ser de 97 pontos. Por isso, um trabalhador de, por exemplo, 62 anos deve somar sua idade a 35 anos de contribuição e o resultado de 97 lhe garante o benefício.

Adicionar Comentário